PARA QUE SERVE A ELETRONEUROMIOGRAFIA E O QUE É?

A eletroneuromiografia é um exame complementar ao exame neurológico e permite estudar o Sistema Nervoso Periférico, avaliando-se todos os componentes da chamada unidade motora: neurônios motores localizados na medula espinhal, raízes nervosas e plexos, nervos periféricos, junção neuromuscular e fibras musculares.

Pacientes com queixa de fraqueza muscular, atrofia, cansaço fácil, dificuldades de movimen-tos e coordenação, alteração ao andar e atividades manuais, dores crônicas e agudas, perda de sensibilidade são encaminhados para estudo das funções neurológicas periféricas através deste exame.

Objetiva diagnosticar ou auxiliar o seu médico na investigação de doenças como neuronopatias, hérnia de disco, envolvimento de plexo braquial e lombossacro, ciatalgias, neuropatias periféricas, miastenias, miopatias, dentre outras.

O exame é dividido em duas etapas: o estudo da condução nervosa e o estudo da atividade elétrica do músculo.

O primeiro permite estudar qualquer nervo, localizar e classificar as lesões nervosas periféricas. O médico coloca eletrodos de superfície, indolores, e fixados sobre a pele e em seguida aplica um pequeno estímulo através do uso de uma corrente elétrica de intensidade suficiente para gerar uma resposta consistente, porém suportável para o paciente de acordo com a sua sensibilidade própria. A seguir, o estudo da atividade elétrica do músculo é realizado através de um eletrodo em formato de agulha introduzido no músculo, o qual vai ser analisado em repouso e após contração voluntária, sendo bem tolerado pela maioria dos pacientes.

Para análise dos achados do exame utiliza-se um aparelho chamado eletromiógrafo (em nosso serviço Nicolet-Viking Quest), capaz de detectar as trocas elétricas que ocorrem na célula durante a transmissão nervosa e a contração muscular. Esses fenômenos são transformados em sinais elétricos, que, após amplificados, são registrados na tela do osciloscópio do aparelho, quando, então, são analisados pelo médico examinador.

Pode ser realizada em qualquer paciente, criança ou adulto, é simples, não provoca complicações e não injeta-se medicamento algum. Não  é necessário anestesia, exceto em condições especiais, como crianças não cooperativas e pacientes adultos com distúrbio de comportamento e não  aceitação do exame.



Qualquer região do corpo pode ser avaliada por este exame. Pode ser realizado na gravidez e na presença de qualquer material metálico no corpo.

Existem poucas situações que contra-indicam a realização do exame, como infecção na pele do local a ser examinado, Erisipela e distúrbio severo da coagulação do sangue, porém cada caso deve ser analisado individualmente pelo médico.

São contra-indicações relativas pacientes em uso de anticoagulantes, nos quais o tempo de protrombina ou  parcial de tromboplastina seja igual ou superior a 2 vezes o valor normal e pacientes com plaquetopenia abaixo de 50.000/mm.

Pacientes em uso de medicação para a coagulação do sangue e uso de Mestinon®, devem informar ao seu médico e ao marcar o exame, para orientação de medidas a serem tomadas antes da realização da eletroneuromiografia.

Durante a marcação do exame, informar à recepcionista o uso de marcapasso  e solicitar do seu médico cardiologista a liberação para realização do exame. Pacientes mastectomizados podem realizar o estudo da condução nervosa, mas é contra-indicado o uso de eletrodo de agulha.


INFORMES IMPORTANTES SOBRE O EXAME

A duração do exame é variável e depende da solicitação do médico assistente, das técnicas a serem utilizadas, da cooperação do paciente e da doença a ser investigada. O médico examinador iniciará colhendo informações sobre tempo, evolução, sintomas e sinais da sua doença e realizará um exame neurológico sumário. O exame é realizado com o paciente deitado, o qual deve relaxar e ser cooperativo.
   
Após o exame você poderá sentir desconforto onde foi introduzido o eletrodo de agulha, porém a recuperação é rápida e imediatamente poderá caminhar, dirigir e continuar suas atividades normalmente.

Por último, ressaltamos que o exame de eletroneuromiografia é analisado isoladamente e sempre correlacionado ao quadro clínico e aos demais exames laboratoriais e radiológicos solicitados por seu médico assistente.

Algumas vezes pode ser necessário repetir o exame, buscando alterações eletrofisiológicas antes não detectadas.

Com o resultado do exame, retorne ao seu médico e receba esclarecimentos adequados sobre a sua doença e tratamento.

 
Boom! Digital